Eu, você & todos nós.

Oie voltei! 😀 (teremos duas introduções e logo o texto, você pode pulá-las ou não, sinta-se em casa mas não muito hehe s2)

Estive distante, porém não ausente, pois a escrita permeia meus dias em de diversas formas. Agora tenho dado vazão a poesia no @framboesa.co ~ isso mesmo, framboesa, com cor, gosto e sensação de fruta #yummy Porém, como coração e nem a saudade mentem. I’m back com textos, com o universo de coisas que eu gosto e claro autoconhecimento e reflexões (:

Feitas as honras, seguimos…

Hoje é Páscoa e estamos em isolamento social, em Porto Alegre faz sol e devido a diminuição do trânsito acho que o ar está mais limpo, sinto a cidade mais harmônica mesmo em meio aos caos. (simmm,só eu ?) Buenas, acredito que em tempos raros como os atuais, todo mundo põem a cabeça no travesseiro e deve pensar um pouquinho: QUEQUETAACONTECENUMEUDEUS? Hehe E além disso, pensar sobre a vida e seu papel perante ela. Pois bem, o que trago hoje é um conto do Andy Weir para refletirmos extamentchy isso. ~ respira, toma água, alonga a coluna* e bora ~

The Egg | Andy

colagem surrealista by Albani Simon

Você estava a caminho de casa quando morreu.
Foi em um acidente de carro. Nada muito chamativo, mas infelizmente fatal. Você deixou sua esposa e duas crianças. Foi uma morte sem dor. Os paramédicos tentaram de tudo para te salvar, mas em vão. Seu corpo estava completamente destruído, foi melhor assim, pode acreditar.
E foi aí que você me conheceu.

“O que-… o que aconteceu?” Você perguntou. “Onde estou?”
“Você morreu,” Eu disse, com naturalidade. Não fazia sentido conter as palavras.
“Havia um caminhão.. e ele derrapou..”
“Isso aí,” Eu disse.
“Eu.. Eu morri?”
“É. Mas não se sinta mal. Todo mundo morre,” Eu disse.
Você olhou em volta. Não havia nada. Só eu e você. “Que lugar é esse?” Você perguntou. “Isso é o paraíso?”
“Mais ou menos,” Eu disse.
“Você é Deus?” Você perguntou.
“Isso ai,” Respondi. “Eu sou Deus.”
“Meus filhos… minha mulher,” você disse.
“O que tem eles?”
“Eles ficarão bem?”
“É isso que eu gosto de ver,” Eu disse. “Você acabou de morrer e sua maior preocupação é a sua família.”

Você olhou pra mim com um certo fascínio. Pra você, eu não parecia com Deus. Eu aparentava ser um homem qualquer. Ou possivelmente uma mulher. Uma figura autoritária meio vaga, talvez. Eu me parecia mais com um professor de gramática do que com o Todo Poderoso.

“Não se preocupe,” Eu disse. “Eles ficarão bem. Seus filhos lembrarão de você como um pai perfeito em todos os sentidos. Eles não tiveram tempo de nutrir desprezo por você. Sua mulher vai chorar, mas vai ficar secretamente aliviada. Pra ser sincero, seu casamento estava desmoronando. Se serve como consolo, ela vai se sentir muito culpada por se sentir aliviada.”
“Ah..” Você disse. “Então o que acontece agora? Eu vou para o Céu, pro Inferno ou alguma coisa do tipo?”
“Nenhum dos dois” Eu disse. “Você vai reencarnar.”
“Ah,” você disse. “Então os Hindus estavam certos,”
“Todas as religiões estão certas de alguma forma,” Eu disse. “Venha comigo.”
Você me seguiu enquanto caminhávamos pelo vazio. “Aonde estamos indo?”
“A lugar algum,” Eu disse. “Só gosto de andar enquanto conversamos.”
“Então qual é o sentido disso?” Você perguntou. “Quando renascer, eu vou esquecer tudo, não é? Um bebê. Então todas as minhas experiências e tudo que fiz nessa vida não significaram nada.”
“Não é por aí!” Eu disse. “Você tem dentro de você todo o conhecimento e experiências de todas as suas vidas passadas. Você só não lembra dessas coisas agora.”

Eu parei de andar e coloquei as mãos em seus ombros. “Sua alma é mais magnífica, linda e gigantesca do que você possa imaginar. Sua mente humana pode apenas entender uma pequena fração do que você é. É como colocar o seu dedo em um copo d’água para ver se está quente ou frio. Você coloca uma pequena parte sua lá, e quando tira, você percebe que prendeu tudo o que podia.
Você foi um humano nos últimos 48 anos, então ainda não deu tempo de você perceber o resto da sua imensa consciência. Se nós ficarmos aqui por muito tempo, você começará a lembrar de tudo. Mas não faz sentido fazer isso entre cada vida.”

“Quantas vezes eu já reencarnei, então?”
“Ah, muitas. Muitas e muitas. E em muitas vidas diferentes.” Eu disse. “Dessa vez, você será uma camponesa chinesa no ano 540 D.C.”
“Espera aí, como?” Você gaguejou. “Você está me mandando de volta no tempo?”
“Bem, tecnicamente. Tempo, da forma como você conhece, só existe no seu universo. As coisas funcionam de outro jeito de onde eu venho.”
“De onde você vem?” Você disse.
“Ah claro,” Eu expliquei “Eu venho de algum lugar. Um outro lugar. Existem outros como eu. Eu sei que você quer saber como é lá, mas honestamente, você não entenderia.”
“Ah,” Você disse, um pouco desanimado. “Mas espera. Se eu reencarno em diferentes lugares no tempo, eu poderia ter interagido comigo mesmo alguma vez.”
“Claro. Acontece o tempo todo. E já que as duas pessoas têm apenas consciência da sua própria vivência, você nunca sabe que está acontecendo.”
“Então, qual é o sentido disso tudo?”
“Ta falando sério?” Perguntei. “Sério? Você está me perguntando o sentido da vida? Isso não é meio estereotipado?”
“Bem, é uma pergunta plausível,” Você persistiu.
Eu te olhei nos olhos. “O sentido da vida, motivo pelo qual eu criei todo o seu universo, é para que você amadureça.”
“Você ta falando da humanidade? Você quer que nós amadureçamos?”
“Não, somente você. Eu fiz todo esse universo para você. Para que em cada nova vida você cresça, amadureça e se torne um intelecto maior.”
“Só eu? E as outras pessoas?”
“Não há mais ninguém,” Eu disse. “Nesse universo, só existe você e eu.”
Você me olhou com um olhar vazio. “Mas e todas as pessoas da Terra…”
“Todas são você. Diferentes encarnações de você.”
“Quê? Eu sou todo mundo!?”
“Agora você está entendendo,” Eu disse, te dando um tapinha nas costas.
“Eu sou todos os seres humanos que já viveram?”
“Ou que irão nascer, sim.”
“Eu sou Abraham Lincoln?”
“E você é John Wilkes Booth, também,” Completei.
“Eu sou Hitler?” Você disse, horrorizado.
“E também é os milhões que ele matou.”
“Eu sou Jesus?”
“E também é todos que o seguiram.”
Você ficou em silêncio.

“Toda vez que você vitimou alguém,” Eu disse, “você estava vitimando a si mesmo. Cada ato de bondade que você teve, foi feito para você mesmo. Cada momento feliz e triste vivido por qualquer pessoa foi, e será, experienciado por você.”
Você ficou pensando por um longo tempo.
“Por quê?” Você me perguntou. “Por que fazer tudo isso?”
“Porque algum dia, você será como eu. Porque é isso que você é. Você é um dos meus. Você é minha criança.”
“Nossa,” você disse, incrédulo. “Quer dizer que sou um deus?”
“Não, ainda não. Você é um feto. Você ainda está crescendo. Quando tiver vivido todas as vidas humanas em todas as eras, você terá crescido o suficiente para nascer.”
“Então todo o universo,” você disse, “é somente…”
“Um ovo.” Respondi. “Agora é hora de você ir para sua próxima vida.”
E eu enviei você de volta.

Bummm, textão né? Vou deixar vocês nessa cantinho de pensamentos internos e espero que isso desperte o melhor de vocês. Quero agradecer ao meu amigo Joca (alô Marcelinaaa hehe) pelas reflexões e aprendizados que tu me trás, obrigada amigo. Se alguém quiser falar do tema, estamos aí 😉

Um abraço, com carinho e saudades Karol.

PS: Agora bora comer chocolateeee e….só uma perguntinha da pra alongar a coluna ou são os músculos que se alonga? Num sei não ein. NEXT TEXT: sobre tipos de amor.

Always Bloomin

Olaaaar, como estamos? Que saudades!
Maio foi um mês esquisito né? Fiquei buscando um adjetivo pra definir maio…
aí pensei nos acontecimentos: Teve frio, teve calor, teve manifestação, tiveram dias lindos e outros esquisitos.Achei esses dias tão… pitorescos ~ ah pictoresco do glossário: palavras cults para conversas na mesa de bar hehe ~
< insira aqui ironia >

 Sim, achei isso mesmo porque os dias foram bem atípicos, ao menos for me.
Bom, mas feita as honras da casa (ou quase), no programa de hoje vou falar sobre a conversa que tive com uma amiga ( hi Ana) em uma tarde de sol de domingo…

//E estreando aqui post com trilha sonora temática: Antes de ler dá o play nesse link depois volta que tenho umas coisas legais pra te contar: (Music: Bloom- Samwise )

 

Pronto, deu o play? Bora.

Estávamos em um lugar que não é físico, é a chamada ~ zona segura ~ que estabelecemos com quem gostamos e confiamos. Onde não há julgamentos só escutamos e acolhemos. Nesse espaço, claro pra ambas, porém intangível estávamos falando sobre coisas da adolescência… então ela me faz a seguinte pergunta:

Karol, como eu lido com um trauma ? 

Foi um baque, porque sei do que se tratava, mas não sei COMO se trata.
Respirei, refleti, imergi por alguns segundos e voltei.
Abracei ela.
Olhei ao redor e disse:

Tá vendo aquela flor? 

( não estávamos no Keukenhof Gardens Hehe era só a portaria do meu prédio, aliás Google it ~ Keukenhof Gardens~ depois me contem, é como diria a Pitty bizarro, bizarro de lindo) 

Seguindo
Perguntei, tá vendo aquela flor…Ela deixaria de ser flor se estivesse sem pétalas ?
Não, ela disse, um não meio trêmulo.
Você diria para aquela flor nunca mais florescer, porque um dia alguém arrancou uma pétala dela?
Não, nunca, ela é linda.
Sim, olha como é linda florescendo… Sabe porque? Prossegui. Porque ela é flor, nasceu flor e faz parte da natureza dela perder as pétalas, passar o inverno e voltar a florescer.
Isso é similar aos momentos difíceis que vivemos…  não podemos ficar olhando pra trás e deixar de viver porque já caíram pétalas. Sei que algumas foram arrancadas, doeu e ás vezes ainda dói, mas a vida se trata de florescer. Caso fique parada e não permita vai ficar fraca e secar, pois está indo contra a tua/nossa natureza. 

Então deixe o passado ser o que ele pode ser e entenda que pode sim, vir o vento, vir a chuva e levar outras pétalas mas as primaveras sempre chegam, pois é a vida. Suas raízes são fortes por isso tu chegou até aqui e agora é hora de não olhar mais para pétala que caiu, brilhar e novamente florescer.

Ela silenciou
Eu silenciei
Ela sorriu e eu senti que fez sentido, pra ela e pra mim.

Espero, com carinho, que faça sentido pra você também e que você permita independente se já te arrancaram pétalas e que você não tenha medo, porque tudo isso sempre passa. As pétalas que já foram não voltam, mas sempre e pra sempre haverão primaveras.

Floresce, vai, coragem ❤

Abraços gigantes e apertadosssss com atenção e apreço
K. 

Ps: obrigada Aninha, pelas conversas e por me permitir eternizar esse momento em palavras.
//Agora, fechando, dá play na música 02 (; hihi
(Bloomin -Nymano)

Besouros & autoconhecimento.

Olarrr, já compraram meu presente de Páscoa? Hehe

No programa de hoje, com uma pegada meio Discovery Chanel, vamos falar sobre insetos legais ~yep~ e como isso me serviu de exemplo pra entender sobre comportamentos.

Prontos? 

Vamos nessa (: 

800E8936-E676-481B-B505-D30948009B0F.jpeg

O meu primeiro bicho de estimação foi um besouro, sinhê isso mesmo, daqueles grandes e esquisitos.Porque certa vez meu pai chegou lá em casa com aquele bixo estranhamente lindo em um gigante pote de vidro ~gigante pra mim que era pequenita~ dizendo que eu ia aprender muito com aquele bixinho.Esquisito, mas como toda criança faria, aceitei o desafio com empolgação ~e nunca mais parei pq to empolgada até hj haha~

Ele morava em um aquário (sem água e nem sereias) no meu quarto e eu brincava de olhar ele, aquela forma esquisita aquela fragilidade forte. Quando eu ia tocá-lo eu tinha que segurá-lo com firmeza se não ele me machucava com o casco e ao mesmo tempo eu também tinha que ser sútil pq suas patinhas eram pequenas e frágeis. Ah sim…e ainda haviam as asas, eu tinha que ter movimentos calmos porque se não ele voava. 

Sei que parece estranho pensar em uma menininha de 7 anos tendo um besouro… e pouco interativo essa dinâmica, mas aí está o ponto. Eu estava aprendendo muito sobre como lidar com algo tão pequeno e que cada comportamento meu implicava em uma reação dele e como todos nós temos várias “partes “ diferentes.

Hoje comparo essa experiência a la Vida de Inseto com a dinâmica que temos com assuntos mais complexos da nossa ~nada mole but incrível~ jornada de autoconhecimento e com as nossas relações com os demais. Somos como ele, temos nossas partes fortes e cortantes, outras mais sensíveis e asas que nos mudam de lugar. Vivemos também o desafio semelhante ao sair do aquário  “lê-se zona de conforto” quando devemos mostrar o frágil, quando devemos erguer o casco… e quando devemos voar? 

Acho que ninguém humano tem plena certeza disso, porque estamos em uma dança de ação e reação sem fim. Muitas vezes mostramos só casco e esquecemos que a vulnerabilidade nos torna humanos e nos conecta. Outras vezes mostramos só as patinhas frágeis e a vida engole ou voamos em busca do melhor e é assim, se aprende assim… só podemos ser o que nos é possível ser naquele momento e trazendo a verdade como alicerce. 

Nesse universo fora do aquário vamos aprendendo mais sobre nós mesmos e sermos mais acertivos no uso de cada uma dessas nossas partezinhas. No fim  das contas quem realmente te quer bem entenderá suas fragilidades, seu casco e suas asas e vamos aprendendo juntos pelo caminho. Como eu e meu bezourinho ❤

Abraços, com jeito de paz,K.
Ah e Boa Páscoa gentchy! 

Ps1: tudo aqui é verídico.
Ps2: O nome do besouro, advinhem era “o cascudo”.
Ps3:Obrigada pai pelos presentes mais legais. Já contei pra vcs da vez que ele trouxe pra casa areia da praia pra gente fazer um vulcão?

pra nós.

Dizem que não se deve apontar para uma estrela.
Dizem que a perfeição é bonita.
Mas sabe o que eu acho?

Que isso são só exemplos de que as pessoas dizem tantas coisas para criar medos e travar sonhos.
Acho que as pessoas dizem impossível daquilo que a mente delas não pode tocar.
Elas dizem errado daquilo que elas julgam baseadas em suas histórias
Então, a vida para cada um de nós sempre será diferente.
Não julgue e não deixe que julguem tua história e sonhos.
Afinal, até quando vamos deixar os outos criarem as barreiras das nossas vidas?
E sabe o que eu digo todos os dias pra mim?
Que eu tenho uma sorte danada,
que só existe o hoje,
que as coisas mais lindas da vida não são coisas
e que quando eu olho pro céu e vejo a imensidão da vida, quantos lugares e possibilidades existem! Por issso eu só quero é viver mais e mais.
E isso não vale só pra mim
Vale pra nós, todos nós.


Acredite ❤
Com carinho e tantinho de saudades K!

ps: essa semana tem post de conteúdo novinho (eu ouvi um aleluia? hehe)

Sobre amar, a sí.

Oie, gentchy tudo? (:
Bom, no programa de hoje vamos falar de um assunto beeem bom e beeem polêmico hehe. Sentados? Comecemos.
O famigerado e mal interpretado… ( tcharaannnn) AMOR PRÓPRIO!
Sim, ele mesmo, famoso e robusto como deve ser. Não é nada fácil falar sobre algo, assim, tão importante, mas fica comigo que no fim do texto tem supresa
~ das boas,I promise ~
Amor próprio eita palavrinha bonita pra dizer sem pensar né nom. Falam e
atucanam os ouvidos das amigas (aqui chamaremos a amiga de Aldinéia)
-Maaaaas Aldinéia tu tem que te amar, tu é linda!
(insira aqui aquele meme revirando os olhos hehe)
Você nâo está ajudando ela.
Você não está se ajudando.
Você não sabe o que é amor próprio.
Sabe por quê? Porque amor própio não é aparência.
O amor próprio não é isso que voce vê no espelho, ele é também isso.

off topic: Aldinéia hahahhaahhah sorry, voltando

Em tempos de empoderamento feminino onde estamos, amplamente, repensando as relações e seus impactos na construção de uma sociedade mais saudável, o assunto amor próprio passa subentendido em algumas discussões. Passa, mas não devia, pois é o maior pertecimento humano, o auto valor. ~reparem que o papo é serio hoxe hehe~
Não há distinção de gênero aqui, o amor por sí é aprendido na infância quando a criança recebe o afeto, a atenção e a segurança, dentre outros fatores nas proporções corretas, ou seja é um tijolinho da contrução da personalidade da pessoa.
Isso significa que: VEM DE DENTRO! (tcharaaaaan  2)
Esse tijolinho pode não ter sido colocado de forma perfeita durante a infância, mas o mais unboliviable é que quando adulto o indivíduo tem capacidade de reformar essa parede, sua estrutura sim. Nada adianta rebocar, colocar acabamentos maravilhosos em algo que está internamente desorganizado, ao menor vento balança.
Ao tocar desmancha.
Somente o autoconhecimento e a auto compreensão para que se possa organizar a forma de se auto perceber e de sentir o mundo de cada um.
Ou seja, abigos, não serão selfianes, anabolizantes, academia, carros, poder, fama, likes ou qualquer outra coisa que vai concertar a parede de ninguém. Isso tudo é step do ego e ego não é amor. ~tô polêmica bb~

Uma coisa que gosto de pensar é como se a gente fosse nosso melhor amigo:
Você deixar de amar seu amigo quando ele está com uns quilinhos a mais? NOPE.
Você deixa de amar seu amigo quando ele faz uma cag@5a federal ? NOPE.
E quando ele dá PT na balada? Não.
Se ele errar e não for por mal? Jamais né.

Então porque a gente não se torna o melhor amigo de nós mesmos a partir de hoje. Olhando a sí com mais afeto e menos julgamento. Com mais admiração, compreenção e menos crítica negativa. Seja sempre o seu melhor amigo.
Esse carinho por sí, não tem nada a ver com arrogância e/ou orgulho e sim com auto afeto e carinho. Quem mais se quer bem, mais respeita o seu  próprio tempo e consegue dar limites de não aceitar lixo emocional dos outros ou sua própria auto sabotagem.
Faça por você o que seu melhor amigo faria:
Perdoe
Seus pais, perdoe seu “eu” do passado, perdoe quem lhe feriu. Perdoe-se e recomece.
Limite
Diga não quando quiser dizer e não tenha medo de quem se afastar quando você fizer isso.
Respeite
Siga seu tempo, seu ritmo.
Ouça
Os seus sinais (fome, sono, cansaço…). Atenda seu corpo, sua mente. Cuide-se.
Tente
Faça, refaça e aprenda fazendo. Estude e busque sua melhora, sempre,
Seja
Sua personalidade, seus gostos, suas preferências. Você é único.

Esses fatores são muito mais que aparência né?
Então gentchy, não acham que poderíamos ao invéz de dizer para a
 “Aldinéia tu tem que te amar, tu é linda! blá blá blá clichê”
Substituir isso por um abraço bem apertado e ouvir-la sem julgar?! Acho que sinhê, porque amar é compreender, é afeto, é resignificar, não julgar. ❤

Vamooooos aos brindesssss produção? Eu fiz poster lindos & maravilhosos com a temática de auto amor pra você baixar e imprimir! Pode dar um up na decor da casa, pode colar na agenda enfim, óia coisa marlinda:

Posters_LoveYourself
Posters Auto amor

O primeiro é sobre ouvir os seus sentimentos (uhumm tem que se ouvir), o segundo definição de Amor próprio o terceiro sobre ser você mesmo e o quarto e não menos lindo é sobre acreditar em sí!
O link pra baixar free tá aqui:
Download Posters Free (:

Espero que gostem, dos posters e de si mesmos, como eu gosto de vocês.

Ah e você tem alguma experiência ou acha que poderíamos adicionar algo nessa lista de amor próprio? Conta pra mim aqui no comentários, vai  (:

Com carinho,
K.

Posters LoveYourself

#SomosTodosAldineia

Quem não gosta de música bom sujeito não é.

Oieee, cês tão bem? Eu tô.

Voltei cheia de assuntinho, hahah
para falar de algo que eu amo
Amo
A m o
A  m  o
MÚSICA

Eu faço absolutamente tudo ouvindo música, dou play desde que eu acordo até a hora de dormir…É tipo oxigênio só que em notas músicas. Ouço tanto que ja docorei discos e playlits. Na minha casa podia de boas não ter TV. Eu e um radinho de vô já tava bem bom (ainda mais se fosse aqueles a pilha, vintage de verdade, porque eu gosto, porque sim).
Sou tão ligada a música que as vezes estou trabalhando e/ou ocupada e penso: queria ouvir tal música. Tipo sériow
Mas, o que lhes venho dizer (às vezes falo bonito também, ué ) e o que me inspirou a esse post foi que sexta eu assiti a reprise do VMA 2018 da MTV.

Sabemos que todo VMA é polêmico e babadeira ~ gíria que aprendi agora e me sinto baiana usando, oxi ahh eu imito sotaques muito bem, mas conto pra vocês em outro post haha ~  voltando aqui, todo o VMA é assim, apesar de nada superar os dos anos 2000 e pouquinhos aonde a famigerada MTV tava no auge, era canal aberto e a gente era teenager. ❤

saudades piores clipes do mundo/ beija sapo/ disk mtv / MTV na praia/ blink 182 ~ meti o blink no meio porque saudades tbm 

Mas o desse ano ~tentou~ e teve Aerosmith (pero no soy fã), teve Madonna fazendo as delas, teve o Shawn Mendes tomando banho de chuva (siiiimmmm, so cor ro ).
Teve J.Lo ahazando no dourado & na performace & no gogó. Maravilhosa.
Enfim, mas o que mais me chamou a  atenção, foi a cenografia e a produção do espaço do Radio City Music Hall, em NY. Muito led e tipografias sobrepostas.

Acho que quem é das artes feat. Design não pode perder de ver eventos grandes e/ou relacionados a cultura como VMA. Não só pela música, mas vale observar referências de criação, direção de arte, cores, figurinos entre outros (dica boa né, diz sou uma mãe pra vcs vai ?! haha)

Inspirada nessa temática MÚSICA fiz uma playlit pra vcs, como sou um ser matutino fiz uma playlist de BOM DIA BRASIL baronil. ~ queria playlist com nomezinho hipster né? errou bb~ haha
Essa play que começa de leve, pra não assutar ninguém, evolui para um indie e depois no final mete o pé na porta com alguns clássicos como AC/DC (sou dessas) pra você acordar mesmo! Essa play vai deixar o dia de vcs mais alegre ~ I promise ~ com o mesmo som que tá rolando por aqui.

Dica é pra dar o play enquanto coloca o cafézin na cafeteira e se prepara pra vida…Porque quem não gosta de música, nem de café, nem de ler os posts da Karol bom sujeito não é.

Beijos meus,
em você.

 

ps 1: Isso não é um post patrocinado do spotfy.
ps2: mas podia ser, spotfy call me. Haha

Ps3: já deu uma olhadinha no canal do YouTube do blog?

Festa Julina no brechó + tattoo

Genteeeeeee, oi!
Voltei, digam que morreram de saudades vai..!! Haha
Brincadeira, porque não quero ninguém morrendo e sim vivenuuuuu vim contar pra vocês de um lugarzinho super legal aqui de Porto Alegre.
Preparados?
(se ajeita, relaxa…inspira, expira.., pronto?)
Vamo lá
O Altar moda @altarmoda é um brechó e estudio de moda, lá rolam fotos, produções entrevistas e mais um monte de coisa linda. Fui na festa julina do Altar e tava rolando muita coisa bacana, tinha tattoo com o @colorblindestudio , tinha comidinhas veganas (gostamos), tinha cerveja artesanal (adoramoooos), tinha quentão e, claro, muita moda.
Gente só pra ambientar vocês o espaço é bem bacana com um pé direito alto, uma decor retro com moderno que inspiras locais moderninhos da Europa ( oui ~ sim em francês né amores )
Sobre as roupas tem váriooos garimpos lá, dos bons. Daqueles que a gente suspira e pensa: não irei torrar o cartão nossa senhora do crédito infinito haha mas sério lá tem marcas legais, bons preços.
Então vale bastante a visita ainda mais em eventinhos como esse que também tem comidinhas deliciosas.

Quer ibagens?

IMG_2119.JPG

 

Um brechó lindo assim.

 

Roupitchas | decor do ambiente + meia arrastão e tênis zara (:

Gostaram né ? Em breve tem vídeo no YouTube!

Com amor, K.

primeiro post do blog (:

~NUMTOACREDITANUQUESAIUDOPAPELISSODAQUI~ unbelievableBrasil
(pausa pra recompor da emoção)

(pronto, passou)

Voltando, noite fria de julho e cá estamos, com o primeiro post do blog!
Vai ser uma jornada de crescimento e aprendizado, dividindo um pouquinho do meu mundo e crescendo no encontro com o mundo de vocês. Porque tudo que  é compartilhado floresce.
Que bons ventos e vibrações reguem essa divertida jornada.

beijos K!

E amanhã já tem novo post. Eventinho com moda e tattoo.ohlocobixo!
E já segue nas redes sociais
Instagram: @akaroldisse |Facebook: A karol disse
Musiquinha de sexta pra dar FOLLOW NO BLOG hehe